O presidente da Câmara, Arlindo Chinaglia, afirmou nesta quinta-feira que a Comissão de Seguridade Social e Família e a Frente Parlamentar da Saúde vão pressionar o governo pela liberação dos recursos necessários para o setor. Ele lembrou que o Congresso aprova o Orçamento, mas é o governo que o executa. Chinaglia deu as declarações na abertura do 4º Fórum de Políticas Públicas e Saúde do Homem. Para o presidente, quando se trata de Saúde, os principais problemas costumam ser de recursos financeiros. Chinaglia ressaltou ainda que existem programas voltados para o setor, mas que precisam ser melhorados. O presidente da comissão, deputado Jofran Frejat (PR-DF), também ressaltou a falta de recursos na área. Ele lembrou que apenas 41% do recolhimento da antiga CPMF, criada para financiar o setor, eram direcionados para a Saúde. “Precisamos aprender a nos indignar”, afirmou. Vasectomia e próstata Frejat destacou ainda a importância do trabalho de divulgação permanente dos programas de Saúde masculina. Segundo ele, a maioria dos homens não faz vasectomia por ignorância. O coordenador da Área Técnica de Saúde do Homem do Ministério da Saúde, Ricardo Cavalcanti, informou que vai propor a proibição de vasectomia em hospitais. Segundo ele, trata-se de uma operação simples que pode ser feita em ambulatórios. Cavalcanti comparou o custo da cirurgia feita num hospital (R$ 219,05) com a realizada em ambulatório (R$ 103,18). Já a resistência do homem em fazer o exame de próstata foi destacada pelo urologista Aguinaldo Nardi. De acordo com estudos citados por ele, o primeiro exame é feito em 55% dos homens por influência de amigos, e em 20% dos casos por insistência da mulher. Medo e vergonha são os argumentos usados por 55% dos homens para não passarem pelo procedimento. Disfunção e câncer O chefe da Clínica Urológica do Hospital Ipiranga (SP), Sidney Glina, disse que o tratamento de disfunção erétil pode ser a porta de entrada do homem no sistema de Saúde. Ele informou que de 48% a 53% dos homens no Brasil têm problema de ereção. Isso, acrescentou, provoca a perda da auto-estima e desavenças entre casais. O médico urologista Luciano Favorito disse que 50% dos pacientes com câncer de pênis esperam aproximadamente um ano para procurar atendimento médico. Em conseqüência, quase mil pacientes tem o pênis amputado por ano no Brasil. Um dos fatores de risco é a fimose. Convênio O presidente da Sociedade Brasileira de Urologia (SBU), José Carlos de Almeida, propôs firmar convênio com a TV Câmara para a transmissão de um programa semanal chamado “Cidadão Saudável”. Segundo ele, o grau de informação sobre Saúde no País precisa ser ampliado. A SBU, de acordo com Almeida, já assinou convênio com a TV Senado para divulgar o programa. “O primeiro foi sobre o câncer de próstata”, informou. (fonte: Agência Câmara – 08.08.08)

Aviso de Privacidade
Nós usamos cookies para melhorar sua experiência de navegação no portal. Ao utilizar o Portal Médico, você concorda com a política de monitoramento de cookies. Para ter mais informações sobre como isso é feito, acesse Política de cookies. Se você concorda, clique em ACEITO.