Uma comissão de médicos residentes da clínica médica do Hospital Universitário (HU) de Campo Grande, que representa 20 profissionais daquele setor, denunciou ao Conselho Regional de Medicina (CRM-MS) a falta de preceptores – como são chamados os médicos que supervisionam o trabalho dos residentes –, principalmente no período vespertino. Os médicos Luis Augusto Avansini Cornelos, Tassiana Hatanaka e Carolina Figueroa de Brito se reuniram na noite de ontem (04/08) com o presidente e o vice-presidente do CRM-MS, Sérgio Renato de Almeida Couto e Antônio Carlos Bilo, além dos conselheiros Antônio Juberty de Souza e Luiz Mascarenhas. “Nossa intenção foi deixar o CRM a par da nossa ação e pedir apoio”, explicou Carolina, residente em clínica médica no HU desde fevereiro deste ano. Segundo ela, a falta dos preceptores compromete a formação dos profissionais e, consequentemente, o atendimento prestado à população. “Um treinamento mal orientado pode resultar, com certeza, num mal atendimento”, analisou. Carolina aponta como setores mais críticos o pronto-socorro e a enfermaria do HU, durante os plantões, onde não há supervisores para acompanhar os residentes. Há dois meses, a comissão de residentes encaminhou documento solicitando providências à direção do hospital, à Comissão Regional de Residência Médica (Coreme) do HU, e à Comissão Estadual de Residência Médica (Corede). “A resposta que tivemos é que está sendo analisada uma forma de resolver o problema”, disse Carolina. O presidente do CRM-MS, Sérgio Couto, disse que fará gestões junto à Coreme, à Corede e ao Ministério Público Federal (MPF) solicitando providências. “O que todos nós queremos, o CRM e os residentes, é garantir um atendimento de qualidade à população”, afirmou Couto. Santa Casa Em junho deste ano, os 56 médicos residentes que trabalham na Santa Casa de Campo Grande paralisaram as atividades, por cinco dias, reivindicando melhores condições de formação, já que as cirurgias eletivas estavam suspensas pela direção do hospital havia mais de três meses. Os procedimentos são fundamentais para a qualificação e o aprendizados desses profissionais. Diante do compromisso do hospital, de retomar os procedimentos gradativamente, os profissionais retomaram o atendimento. Na prática, a residência médica corresponde a uma pós-graduação para o médico, nas mais diversas áreas. É durante a capacitação que o profissional aprimora os conhecimentos teóricos, exercitando-os na prática médica, que deve ser devidamente supervisionada pelo preceptor. (fonte: CRM-MS – 05.08.08)

Aviso de Privacidade
Nós usamos cookies para melhorar sua experiência de navegação no portal. Ao utilizar o Portal Médico, você concorda com a política de monitoramento de cookies. Para ter mais informações sobre como isso é feito, acesse Política de cookies. Se você concorda, clique em ACEITO.