Karine Cortez A suspensão das cirurgias eletivas na Santa Casa de Campo Grande- que provocou fila de 1,2 mil pessoas que aguardam para passar por intervenção médica-resultou em paralisação por tempo indeterminado de 52 médicos residentes do hospital. Sensibilizados com a situação dos pacientes, eles se concentraram na manhã de ontem, com faixas e panfletos, na esquina da Rua 13 de Maio com a Avenida Mato Grosso. A categoria de enfermagem também parou com serviços por 2h, das 6h 30min ás 18h 30min, para reivindicar reajuste salarial (veja box). De acordo com o médico residente em cirurgia-geral Flávio Senefante, há 30 dias o grupo encaminhou advertência ao Conselho Regionalde Medcina (CRM), alertando sobre a situação de que há dois meses não estavam sendo realizados os procedimentos.”Quando formalizamos a advertência, das 16 salas disponíveis para as cirurgias, apenas três estavam com o aparelho de anestesia funcionando. Hoje, 11 já funcionam, mas as cirurgias não foram retomadas devido ao alto índice de urgência e emergência”,enfatizou Flávio. O residente ressaltou ainda que muitos pacientes já morreram na fila á espera de cirurgia.”Se a pessoa não é submetida á intervenção cirúrgica no tempo certo,acaba retornando mais tarde com a situação bem pior”,desse. No entanto, segundo o deretor da Santa Casa, Rubens Trombini, não há previsão para que as cirurgias eletivas sejam retomadas por causa da falta de espaço físico no hospital.”Não conseguimos realizar as eletivas, porque existe um excesso de demanda da alta complexidade, principalmente, na área de ortopedia. Falta espaço físico para tantos pacientes e acabamos tendo que optar. Entre uma vítima de um grave acidente que quebrou a cabeça e o paciente que precisa fazer uma operação de vesícula, damos prioridade ao mais grave, porque somos um hospital de alta complexidade”, enfatizou Rubens Trombini. Para o diretor da Santa Casa, a saída seria dividida as cirurgias eletivas entre o Hospital Universitário(HU) e o HospitalRegional (HR). O HU retomou ontem as cirurgias eletivas que estavam uspensas havia dois meses e, de acordo com a assessoria de imprensa do hospital, a previsão é de que seja realizado 150 procedimentos por mês. Já o HR está realizado mutirão para acabar com a fila de 200 pacientes que aguardam por cirurgia eletiva, no máximo, em dois meses. A assessoria de imprensa da Santa Casa informou que no mês de abril o hospital realizou 510 cirurgias eletivas e 771 cirurgia de urgência. Do total das urgências, 615 foram procedimentos sa especialidade de ortopedia. (fonte: jornal Correio do Estado – 10.06.2008)

Aviso de Privacidade
Nós usamos cookies para melhorar sua experiência de navegação no portal. Ao utilizar o Portal Médico, você concorda com a política de monitoramento de cookies. Para ter mais informações sobre como isso é feito, acesse Política de cookies. Se você concorda, clique em ACEITO.