A Justiça Federal deferiu pedido de liminar, em ação civil pública ajuizada pelo Ministério Público Federal no Piauí (MPF/PI), determinando à ANS (Agência Nacional de Saúde) a inclusão, no prazo máximo de 30 dias, do procedimento denominado Implante Transcateter de Bioprótese Valvar Aórtica (TAVI) em seu rol de procedimentos de referência básica, em favor de usuários com idade superior a 60 anos ou aos que por orientação médica, independente da idade, seja recomendada a realização deste.

    “Esse tratamento propicia a recuperação de idosos com estenose aórtica sem perspectivas cirúrgicas. É uma luz para quem não pode se submeter a uma operação. Além do mais, já temos tecnologia no Brasil, o que facilita a incorporação e a disponibilização universal em todo o sistema de saúde”, comenta o presidente da Sociedade Brasileira de Hemodinâmica e Cardiologia Intervencionista (SBHCI), dr. Marcelo Queiroga.

    A decisão é inédita e tem efeito nacional, em conformidade com o posicionamento do Superior Tribunal de Justiça, em ações dessa natureza que envolvem inúmeros beneficiários.

   Já reconhecida pela AMB e CFM, a técnica mostra-se bem-sucedida em pacientes que não possuem as condições necessárias para a realização de cirurgia cardíaca, cerca de 33% dos enfermos acima de 75 anos. Hoje, cerca de 200 mil brasileiros acima de 60 anos possuem estenose aórtica severa.

Aviso de Privacidade
Nós usamos cookies para melhorar sua experiência de navegação no portal. Ao utilizar o Portal Médico, você concorda com a política de monitoramento de cookies. Para ter mais informações sobre como isso é feito, acesse Política de cookies. Se você concorda, clique em ACEITO.