Na tarde desta quinta – feira (24), o III Congresso de Humanidades em Medicina, que ocorre em Salvador (BA), foi o palco da conferência “Tecnologia e Humanidades em Medicina: ambivalências e potencialidades”, proferida pelo presidente da Associação Brasileira de Saúde Coletiva (Abrasco), Luís Eugenio Portela Fernandes de Souza.

    Em sua exposição, ele tratou da relação médico-paciente e da inserção das tecnologias no trabalho do profissional. Também abordou o impacto das tecnologias na sociedade, sobre os custos e a prevenção de doenças.

    Ainda durante a tarde, os participantes do III Congresso acompanharam painel sobre o tema “O avanço tecnológico significa crise na Humanização da Medicina”. Os expositores foram Reinaldo Ayer, do Conselho Regional de Medicina de São Paulo (Cremesp) e Eduardo Pereira Marques, da Comissão Técnica em Informática Médica do Conselho de Medicina do Rio de Janeiro (Cremerj).

    Na sexta-feira (25), estão previstas mais duas conferencias. A primeira abordará os temas “Filosofia, Sociologia, Antropologia da Saúde, com Abram Josexk Eksterman. Na sequencia, acontecerá o painel “Humanidades em Medicina: Diálogo possível ou utopia” , com a participação de José Dimas d`Avil e de Luis Roberto Londres.

    A programação se encerrará na sexta, à tarde, com uma exposição sobre o tema “ As artes e a Educação Médica, a ser realizada pelo presidente do Conselho Federal de Medicina (CFM), Roberto d´Avila, seguida de um painel expositivo sobre as artes e o saber médico.
 

Aviso de Privacidade
Nós usamos cookies para melhorar sua experiência de navegação no portal. Ao utilizar o Portal Médico, você concorda com a política de monitoramento de cookies. Para ter mais informações sobre como isso é feito, acesse Política de cookies. Se você concorda, clique em ACEITO.