Cerca de 118 mil médicos que atuam no território nacional ainda precisam atualizar seus dados profissionais para a confecção da nova Cédula de Identidade Médica. O processo é obrigatório, atendendo a Resolução 1827/2007, do Conselho Federal de Medicina (CFM). O prazo final para é o dia 11 de maio de 2010. O recadastramento visa atualizar os dados dos médicos e vai permitir saber de fato quem são os médicos brasileiros. As qualificações, área de atuação e características profissionais, como local de origem e de exercício profissional, devem auxiliar em pesquisas e estudos estatísticos que permitam às entidades traçar o perfil e as necessidades dos médicos do País. O formulário está disponível somente na Internet no endereço http://recadastramento.cfm.org.br/crmcad/. Caso o médico não tenha acesso, cada Conselho Regional disponibilizará computadores na sede da entidade. No documento deverão ser informados dados como número do CPF, CRM e data de nascimento. Depois de preenchido, a ficha deverá ser entregue, juntamente com os documentos originais e cópias, na sede do CRM de inscrição primária. (Veja lista abaixo) Dados do CFM revelam que até a primeira semana de novembro, foram recadastrados 33% dos 176.218 médicos aptos distribuídos em 25 estados e no Distrito Federal. Atualmente, o estado mais atualizado é o Paraná, com 46% (10.893), seguido pelo Mato Grosso com 35% (1.508). Nesta conta não estão incluídos os quase cem mil do estado de São Paulo que tiveram processo a parte em 2007, com início do processo de recadastramento em outubro de 2005. Para o relator da Resolução 1827/2007, Gerson Martins Zafalon, conhecer o número exato de médicos ativos facilita a comunicação e dará condições para os Conselhos trabalharem um orçamento realista. “Fica difícil saber se o médico está em atividade, se mudou do país, se registrou seus títulos de especialista, se está em dia com as anuidades, ou se é inadimplente”, justificou Zafalon, ressaltando que a atualização cadastral deverá gerar economia aos Conselhos, uma vez que com a base de dados atualizada as publicações e documentos enviados aos profissionais não deverão retornar ao remetente. A medida também facilitará o combate à ação de criminosos que falsificam a carteira de identidade de médicos, uma vez que o documento será emitido pela Casa da Moeda e possui itens que possibilitarão maior segurança. “A nova carteira irá inibir a prática do crime de exercício ilegal da Medicina que tanto prejudica a população e os profissionais que tiveram os documentos fraudados”, afirma Zafalon, lembrando que não há custo paar emissão deste documento. A primeira fase do recadastramento é pela internet. O formulário está disponível no endereço http://recadastramento.cfm.org.br. Deverão ser informados dados como número do CPF, CRM, Estado e data de nascimento. Ficha de coleta – Após preencher o formulário online, o médico deverá dirigir-se ao Conselho Regional do seu estado para assinar a ficha de coleta, levando uma fotografia 3X4 colorida, com fundo branco ou claro, sem qualquer tipo de mancha, alteração, retoque, perfuração, deformação ou correção. Não serão aceitas fotos em que o médico utilize óculos, bonés, gorros, chapéus ou qualquer item do vestuário ou acessório que cubra parte do rosto ou da cabeça. Além dos seguintes documentos (originais e cópias): – carteira de identidade (RG); – título de eleitor; – CPF; – comprovante de residência (recente); – diploma; – títulos de especialista; – carteira profissional; – comprovante de sociedade em empresa de serviços médicos, se for o caso; – se médico estrangeiro, apresentar, também, comprovante de legalidade de permanência no país. Quando estiver a nova carteira pronta no Conselho Regional, o médico receberá um aviso para retirá-la. Mas atenção: o documento não deve ser plastificado para não comprometer a imagem latente, um dos itens de segurança de suma importância. Conheça alguns dos elementos de segurança da nova Cédula de Identidade dos Médicos, produzida pela Casa da Moeda: – IMAGEM LATENTE. Presente nos dois espelhos da cédula, a sigla CFM é visível observando-se o documento inclinado e sob uma fonte de luz; – MICROLETRAS EM NEGATIVO. A tarja vertical é ladeada pelo texto Conselho Federal de Medicina e as tarjas horizontais possuem o texto Identidade de Médico, ambas impressas em calcografia; – IMPRESSÃO EM TINTA INVISÍVEL LUMINESCENTE. As Armas da República e a palavra Autêntico surgem repetidas sobre o documento, sob luz ultravioleta; – MICROLETRAS EM POSITIVO. Na área da fotografia, em impressão off-set cinza, observa-se o texto Conselho Federal de Medicina, em linhas ondulares; – FUNDO NUMISMÁTICO. O fundo numismático apresenta as Armas da República e a sigla CFM. (fonte: CFM – 17.11.09)

Aviso de Privacidade
Nós usamos cookies para melhorar sua experiência de navegação no portal. Ao utilizar o Portal Médico, você concorda com a política de monitoramento de cookies. Para ter mais informações sobre como isso é feito, acesse Política de cookies. Se você concorda, clique em ACEITO.