Nesta sexta-feira (18) em que se comemora o dia do médico, o Conselho Federal de Medicina (CFM) lançou o hotsite “Médicos em resgate de crianças desaparecidas” – um sistema que permite que pessoas de diversos países cadastrem e busquem essas crianças. A página tem como primeiro alvo o médico por ser um público-chave na busca por crianças visto que, em algum momento, todas vão ao médico – que passa a ser fundamental no processo. Mas, a ferramenta servirá a todos os envolvidos na busca e no cadastramento de crianças.

    “Médicos em resgate de crianças desaparecidas” terá uma base com dados do Brasil, de países latino-americanos e outros de língua portuguesa moderada pelo CFM e o cadastramento será através de um formulário com informações do responsável, da criança e das circunstâncias do desaparecimento. No espaço destinado à criança, deverão constar informações como: nome completo, sexo, data de nascimento, cor dos olhos, do cabelo e da pele, tipo físico, marcas ou cicatrizes, existência de algum tipo de deficiência ou doença mental, além de foto. Nas circunstâncias do ocorrido, a apresentação do boletim de ocorrência (BO) é obrigatória e o cadastro poderá ser feito para crianças desaparecidas nos seguintes países: Brasil, Portugal, Espanha, Argentina, Bolívia, Chile, Colômbia, Cuba, Equador, México, Paraguai, Peru, Uruguai e Venezuela.

    Periodicamente, o CFM entrará em contato com os responsáveis pelas crianças cadastradas para atualizar as informações e também dará baixa no registro das encontradas. Atualmente, existem diversos sites e serviços sobre crianças desaparecidas, mas este será o primeiro de escopo internacional e voltado ao público médico, que assume o papel de agente agregador.

    A página também apresentará um banner com as crianças e um formulário de busca, que deve ter pelo menos um dos parâmetros preenchido para que seja feita. Orientações sobre como evitar o desaparecimento de crianças e como proceder caso as reconheça ou possua informações que possam levar a polícia a elas terão um espaço de destaque no hotsite, que também indicará procedimentos médicos que facilitam na identificação dessas crianças durante o atendimento.

    A página “Médicos em resgate de crianças desaparecidas” está disponível no endereço www.criancasdesaparecidas.org e em três idiomas: português, espanhol e inglês. O CFM é o responsável pelo hotsite em português e a Confederação Médica Latinoamericana e do Caribe (Confemel), representada por Eduardo Santana no lançamento, fecha parcerias para a moderação nos demais idiomas. O projeto também tem apoio do Conselho Geral de Colégios Oficiais e Médicos da Espanha e seu presidente, Juan José Rodrígues Sendín, participou do evento em Brasília.

Aviso de Privacidade
Nós usamos cookies para melhorar sua experiência de navegação no portal. Ao utilizar o Portal Médico, você concorda com a política de monitoramento de cookies. Para ter mais informações sobre como isso é feito, acesse Política de cookies. Se você concorda, clique em ACEITO.