O Conselho Regional de Medicina do Estado de  Mato Grosso do Sul manifesta profunda preocupação em relação à questão da saúde em nosso estado, especialmente na capital e em Dourados. Temos recebido constantes comunicados de médicos alertando quanto à possível paralisação em serviços de saúde em virtude de condições inadequadas de trabalho e atrasos de honorários. 
 
Como autarquia que defende os interesses da população, o CRM/MS entende que a manutenção dessas precárias condições prejudica a qualidade de atendimento aos usuários do sistema de saúde.
 
As constantes fiscalizações realizadas pelo Conselho em Campo Grande e demais cidades do Mato Grosso do Sul, demonstram claramente que há muito o que se melhorar para a sociedade receber tratamento digno e de direito. Os relatórios apurados pela entidade são encaminhados para os Diretores Técnicos dos estabelecimentos vistoriados, Ministério Público, Gestores e Vigilância Sanitária e demais órgãos competentes para que as devidas providências sejam tomadas, no intuito de sanar a calamidade que se encontra a saúde pública.
 
É importante salientar que é direito constitucional da população o acesso a serviços essenciais de qualidade, entre eles a saúde, sendo certo que os responsáveis devem agir não somente pela pressão dos órgãos, devendo tratar a população com respeito que lhe é de direito. 
 
Além disso, o Código de Ética Médica garante ao profissional o exercício da medicina com honra e dignidade, além de boas condições de trabalho e ser remunerado de forma justa.
 
Esperamos que os responsáveis pelo gerenciamento da saúde em nosso estado e em todo país, entendam que administrar este importante setor é mais que uma função gerencial, é compromisso humano. 
 
Conselho Regional de Medicina do Estado do Mato Grosso do Sul
Aviso de Privacidade
Nós usamos cookies para melhorar sua experiência de navegação no portal. Ao utilizar o Portal Médico, você concorda com a política de monitoramento de cookies. Para ter mais informações sobre como isso é feito, acesse Política de cookies. Se você concorda, clique em ACEITO.