Daniela Rocha A Associação Beneficente, Recreativa e Cultural para Crianças Internadas ou Hospitalizadas de Mato Grosso do Sul (Abracih) inicia amanhã um curso para palhamédicos em Campo Grande. O curso acontecerá no auditório da Santa Casa da Capital, e as inscrições, que custam R$ 30, podem ser realizadas até as 8 horas no local. O curso pode ser realizado por qualquer pessoa com mais de 17 anos e que tenha comprometimento e vontade de ser um voluntário. O trabalho dos palhamédicos consiste em visitar hospitais e interagir com as crianças que estão hospitalizadas, por meio de brincadeiras. O objetivo é trazer alegria e ajudar na recuperação dos pequenos. “O que fazemos é um tratamento para as crianças, mesmo. Já conversamos com muitos médicos que nos afirmaram que o trabalho dos palhamédicos ajuda na recuperação dos pacientes”, diz a coordenadora do curso e voluntária, Marycleide Vasques. O curso para palhamédico acontecerá durante quatro sábados, encerrando-se no dia 24 deste mês. O horário será sempre das 8h30 às 11 horas. Ao final do curso, o participante receberá o certificado de conclusão de curso, um crachá, uma camiseta e um nariz vermelho de plástico. “Eles terão noções de higiene e humanização hospitalar. A preocupação com a higiene deve-se ao fato de o voluntário poder levar doenças pelos sapatos e roupas, ou contrário”, diz Marycleide. No primeiro dia de capacitação, os voluntários assistirão palestras com a médica Elizabeth Nishikawa sobre cuidados higiênicos com os pacientes e voluntários; com o diretor-presidente da Santa Casa, Rubens Trombini, sobre humanização hospitalar; com Cristina Scaff, diretora da Associação dos Amigos das Crianças com Cancêr (AACC), sobre atribuições e responsailidades dos voluntários; e a última palestra será com a acadêmica de psicologia Claudia Pinho, sobre o desenvolvimento do palhaço. Até 30 de abril, 160 pessoas inscreveram pelo site www.palhamedicos.com.br para o curso, após essa data as incrições só podem ser feitas pessoalmente. PALHAMÉDICOS O grupo de palhamédicos de Campo Grande existe há nove anos e atualmente conta com dez voluntários, sendo que apenas cinco são atuantes. Marycleide está no grupo desde 2005 e afirma que a ação já contou com mais de 50 voluntários, mas a permanência dura entre dez meses a um ano. “O voluntário precisa saber da importância de ser um palhamédico. É algo que precisa ter responsabilidade, pois as crianças estarão sempre lá esperando”, diz a voluntária. Até novembro do ano passado, os palhamédicos realizavam visitas períodicas na Santa Casa e no Hospital Regional de Campo Grande. Porém, devido à falta de voluntários, a ação tem sido esporádica. Por isso, a associação decidiu executar a capacitação e a previsão é realizar uma por ano, a última aconteceu em 2006. (fonte: Jornal O Estado de Mato Grosso do Sul – 02.05.2008)

Aviso de Privacidade
Nós usamos cookies para melhorar sua experiência de navegação no portal. Ao utilizar o Portal Médico, você concorda com a política de monitoramento de cookies. Para ter mais informações sobre como isso é feito, acesse Política de cookies. Se você concorda, clique em ACEITO.