A falta de condições dígnas de trabalho e os baixos salários voltaram à tona na assembleia desta segunda (17). Dada a insatisfação geral, a decisão aponta para uma greve por tempo indeterminado dos médicos da Maternidade do Hospital Roberto Santos (HGRS), a partir do dia 27 de março.

    A vontade de iniciar o movimento antes esbarra, neste momento, no calendário do carnaval. Mas, na próxima segunda (24), já fazem uma reunião preparatória para a greve. Os médicos com contratos através de Pessoa Jurídica (PJ), que atuam nos diversos hospitais públicos, também estão dispostos a paralisar os trabalhos. Alguns profissionais já declaram abertamente que vão pedir demissão.

    Do ponto de vista da organização e luta coletivas, entretanto, o horizonte também é de greve. Assim, na próxima quarta (19), o pessoal PJ do Hospital Clériston Andrade faz assembleia para organizar o movimento. A perspectiva de greve também se avoluma nos hospitais Ernesto Simões, Roberto Santos e HGE, onde o Sindicato fará reuniões para encaminhar a luta.

Aviso de Privacidade
Nós usamos cookies para melhorar sua experiência de navegação no portal. Ao utilizar o Portal Médico, você concorda com a política de monitoramento de cookies. Para ter mais informações sobre como isso é feito, acesse Política de cookies. Se você concorda, clique em ACEITO.