Rede dos Conselhos de Medicina
Vacinação – Vicissitudes de um velho
Qua, 03 de Março de 2021 10:33

Vacinação – Vicissitudes de um velho
Juberty Antonio de Souza

 

No momento a maior preocupação das pessoas normais é a pandemia, é COVID 19. É uma preocupação tão intensa que tem causado condutas as mais divergentes possíveis, de acordo com a percepção das pessoas. Assim vemos pessoas escondendo-se de todas as formas, quando vai ao médico e pede água, pega o seu álcool e que não espirra na superfície externa, enquanto que outros tem a certeza de que nada lhe acontecerá, que não existe a pandemia como refere o ídolo de algumas destas pessoas. Assim recusa tomar toda e qualquer medida prevenção, se colocando em risco e colocando em risco as outras pessoas.

Entretanto algumas pessoas, principalmente os mais idosos, mais experientes, com vivência de outras epidemias, e sobretudo acreditando no potencial de contágio e de letalidade. Um destes profissionais, médico, professor universitário, foi infectado, conseguiu se recuperar com algumas sequelas, mas ficou na expectativa da vacina, pois ciente da possibilidade da reinfecção e das mutações já existentes, não queria repetir exta experiência.

Assim. Ficou contente com a notícia de que na cidade houvera uma iniciativa conjunta entre a Secretaria de Saúde e a UNIMED, para fazer uma programação de vacinação inicialmente para médicos velhos. Ficou satisfeito porque já passar dos 70, andava com dificuldades, com o auxílio de uma bengala, fruto de AVC 10 anos atrás.

Todo pimpão, compareceu ao Hospital da Unimed, foi encaminhado ao 6º andar, ficou espantado com a quantidade de pessoas, ficou sabendo que os funcionários do hospital também estavam recebendo a vacina.

Procurou um lugar para se encostar e esperar a sua vez quando foi “descoberto” por uma ex-aluna, que ali estava e dirigiu-se a ele:

...oi, professor! Já foi cadastrado? Não? Então vou fazer o seu cadastro.

Com a agilidade própria de uma adolescente, em poucos minutos, fez a sua anamnese, não se esquecendo de nenhum item. Mostrou que aprendera bem como entrevistar e conseguir dados.

Ao término, ela o levou até a fila com mais 350 pessoas, assim lhe parecera, pois havia cerca de 50 pessoas em fila para vacinar, e ele ficou mais animado, mas vendo o seu sorriso a ex aluna lhe disse sorrindo:

...professor, nas aulas o senhor sempre dizia ironias...agora é a minha vez...

Frente ao seu assombro, e porque não receio, ela o pegou pelo braço, dirigiu-se para a fila, e em voz alta, trovejou...

...pessoal, esta é uma prioridade prioritária...e continuou...é um galo velho, manco, vesgo e gagá...
Feito isto, e sem ligar para os risos, continuou segurando-o pelo braço, levou-o até a sala em que as profissionais estavam vacinando, e ainda com um sorriso aquecedor, olhou-o nos olhos e disparou...

...agora quero ver...não vá gritar, hein?

Ao término, acompanhou o velho professor até o elevador e se despediu...

...até logo professor, foi muito bom te ver...

 
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner